quarta-feira, 23 de maio de 2012

Criatividade x Espontaneidade

Espontaneidade não é fazer qualquer coisa em qualquer momento, em qualquer lugar, de qualquer maneira, o que seria uma espontaneidade patológica.

Ser espontâneo é fazer o oportuno no momento necessário. É a resposta boa a uma situação geralmente nova, e por isso mesmo difícil. Deve ser uma resposta pessoal, integrada, e não uma repetição ou uma citação inerte, separada de sua origem e de seu contexto.

A espontaneidade opera no presente, nas situações vividas no aqui e agora, estimulando o indivíduo na direção de novas respostas a situações já conhecidas ou adequando suas respostas diante de situações inesperadas.

Quando falamos em espontaneidade logo surge, também, a criatividade. São categorias diferentes. Um indivíduo espontâneo, mas sem criatividade, será um idiota espontâneo. Assim, a espontaneidade sem a criatividade é vazia e abortiva.

A criatividade pode ser definida como toda a possibilidade de o sujeito se jogar todo em qualquer experiência sem se moldar ou sem temer o costumeiro ou convencional.

Ser criativo é deixar que a intuição ajude a inteligência a resolver problemas. A criatividade depende muito da coragem do indivíduo de dizer ou de fazer coisas além do senso comum.

Depende, enfim, de saber errar, de perder o medo de errar. Criatividade e espontaneidade andam juntas. Criatividade sem espontaneidade é como um criador sem braços, desarmado. Espontaneidade, sem criatividade, é pura tolice!

Nenhum comentário:

Postar um comentário